MATERIAIS COLABORATIVOS

Participe,
envie sugestões para o email:

Introdução

Este é um projeto vivo, aqui apresentado na forma de vídeo-site, onde figuram materiais resultantes da pesquisa que realizo em torno da relação Violão-Canção e da permeabilidade constitutiva da música popular brasileira. Nele analiso, em especial, o trânsito de informações musicais que se dá na intersecção entre o universo do violão solo, particularmente aquele ligado à música erudita ou de concerto, e o universo da canção popular no Brasil.

Projeto este que é fruto de uma busca de vida, no qual – ao invés de separar – procuro mesmo é articular os diferentes caminhos percorridos em minhas composições e trajetória artística; assim como os percorridos enquanto pesquisador-aprendiz no grupo A Barca[i] e enquanto violonista que pesquisa o limiar da tradição escrita dentro da academia.

Aqui você encontrará os vídeos das entrevistas realizadas a partir da dissertação intitulada Violão-Canção: diálogos entre o violão solo e a canção popular no Brasil[i]. Assim, ao transitar pelas páginas do site, em meio ao texto e às transcrições descritivas, o leitor poderá acompanhar seleções especiais das entrevistas, que foram realizadas com sete mestres de reconhecida atuação nos universos abordados: Sérgio Assad, Marco Pereira e Paulo Bellinati ligados à prática do violão solo; João Bosco, Paulo César Pinheiro e Luiz Tatit, à canção popular; e Guinga, que atua na face de contato entre os campos estudados.

A opção pelo formato de montagem permite que os diversos e multifacetados discursos e temas convivam entre si por meio dos sete capítulos que compõem a dissertação. A atenção aos processos composicionais e a sua organicidade, assim como o olhar para o gesto musical, defronte ao hibridismo da cultura brasileira, trouxe para pesquisa o uso de diferentes linguagens – texto, partitura, vídeo, áudio – assim como referências teóricas do campo da musicologia, etnomusicologia e antropologia. Desta maneira, o presente trabalho se vale tanto dos recursos próprios da tradição escrita quanto de recursos que obedecem à dinâmica da tradição não-escrita, os quais se complementam a fim de contemplar a natureza da matéria musical nascida da interação entre estes universos.

O texto na íntegra poderá ser encontrado em breve no livro a ser lançado pela editora SESC, que inclui ainda a entrevista feita com o compositor e cantor Elomar, realizada já após a defesa da dissertação. Elomar, assim como Guinga, atua no exato limiar dos campos aqui abordados: o do violão solo, ligado à tradição escrita, e a canção popular no Brasil.

Um projeto que é vivo e que, portanto, continua. Seja em minha própria atuação artística; seja no doutorado, que agora desenvolvo, contando novamente com a orientação do maestro Gil Jardim; ou nas infinitas maneiras do violão e a canção se alimentarem reciprocamente na música que é feita no Brasil.

00:00 Assista ao trailer do filme Violão Canção: Uma alma brasileira, um dos vários desdobramentos desse projeto.

Boa navegação!

Chico Saraiva

  1. Grupo que surge em 1998, do qual sou membro fundador, e que mobiliza, pesquisa e promove a música das culturas tradicionais brasileiras. Conheça mais em: http://www.chicosaraiva.com/a-barca

  2. O projeto contou com orientação do Maestro Gil Jardim, e com a presença de Ivan Vilela e José Miguel Wisnik nas bancas de qualificação e defesa. A introdução acadêmica, onde elaboro alguns dos conceitos que embasam a dissertação, pode ser acessada aqui.

FECHAR